02
JAN
2019

Título de Doutor Honoris Causa aos Irmãos Amadeu, Ignácio e Nery

Unilasalle-RJ concede o título de Doutor Honoris Causa aos Irmãos Amadeu, Ignácio e Nery

O capelo é posto sobre as vestes. Os joelhos se dobram para os lábios beijarem o anel do Arcebispo. O conselho é dado: “Sejamos todos doutores da vida em favor do próximo”. As cenas envolveram três diferentes protagonistas no dia 6 de dezembro, data em que o Centro Universitário La Salle do Rio de Janeiro concedeu, pela primeira vez, o título de Doutor Honoris Causa, dado a quem se destaca em seu fazer, tendo ou não trajetória acadêmica. Naquela quinta-feira, os Irmãos lassalistas Amadeu Egydio (In Memorian), Ignácio Lúcio Weschenfelder e Israel José Nery passaram a ser doutores, honraria decorrente dos serviços prestados à cidade de Niterói e à Rede La Salle. A outorga dos títulos abre a comemoração ao Jubileu Lassalista, os 300 anos de legado de São João Batista de La Salle.

Três eram os homenageados e três foram as cerimônias preparadas para a ocasião. As celebrações começaram na Varanda Cultural, onde o Arcebispo de Niterói, Dom José Francisco, presidiu missa, acompanhado pelo Arcebispo Emérito de Niterói, Dom Frei Alano Maria Penna. Entre as leituras, o Evangelho (Mt 7:21, 24-27) daquele dia trazia um recado: a importância de ouvir as palavras de Deus, mas também de colocá-las em prática, para não sermos casa construída em cima de areia que, com a chuva, vira ruína. “Podemos dizer hoje que os homenageados construíram esta casa, estas vidas, na base sólida do segmento de Jesus, fundamentados, também, com a orientação de São João Batista de La Salle. Este título hoje conferido quer ser o reconhecimento de que a vida deles foi marcada por esta doação, pelo serviço a Jesus através da educação, colaborando na formação de pessoas e de gerações, levando não só o conhecimento de Jesus Cristo, mas a amar os irmãos, a viver uma vida para além da dimensão humana, procurando reconhecer nela esta dimensão divina. A vida é sagrada e, por isso, devemos atestar a presença dos dons de Deus nesta caminhada. Eu me sinto honrado de participar deste momento”, sintetizou o arcebispo em sua homilia.

No caso do Irmão Amadeu Egydio, as paredes de casa sólida carregam a história dos mais de 40 anos à frente do Colégio La Salle Abel. Único homenageado já falecido, o Irmão Amadeu foi representado pelo sobrinho Elbio Fritzen na outorga do título. Segurando a beca, Elbio pôde ver a plateia se levantar para aplaudir de pé o tio, quando o reitor do Unilasalle-RJ, Irmão Jardelino Menegat, pousava cuidadosamente o capelo sobre a vestimenta, tornando Silvino José Fritzen, como era seu nome de batismo, Doutor Honoris Causa In memorian. Irmão Amadeu faleceu no dia de Natal de 2016, quando “outra estrela passou a brilhar no céu, para além da Estrela de Belém”, como dizia o texto lido pelo vice-reitor, Ronaldo Curi Gismondi.

Em seu discurso no Centro de Convenções Irmão Amadeu, o Irmão Jardelino Menegat lamentou o fato de a homenagem não ter sido feita antes, mas ressaltou outras alegrias sentidas pelo educador. “Costuma-se dizer quando alguém importante morre que sai da vida para entrar na história. Podemos dizer isso para o nosso querido e estimado Irmão Amadeu. Ele continua na nossa história”, afirmou, “Queríamos ter prestado esta homenagem em vida, mas Deus o chamou antes. Pelo menos demos o nome dele a este lugar onde estamos. Ele pôde visitá-lo”. Para o reitor do Unilasalle-RJ, apesar de bibliotecas reunirem extensos materiais produzidos pelos três Irmãos, “as grandes obras deles vamos encontrar nas pessoas que foram tocadas e amadas por esses Irmãos. Por isso, são os primeiros a receber deste centro universitário o mais elevado título que podemos conceder a alguém. Ao concedê-lo, não só o fazemos como justo reconhecimento, mas também como forma de convidar a tantos outros para que trilhem caminhos onde as luzes do saber e do conhecimento os recompensem ao final de suas trajetórias na Rede”.

Antes da outorga de cada título, foram lidos resumos da trajetória de cada homenageado. Os Irmãos Cláudio Henrique Rocha Moreno e Hugo Bruno Mombach compartilharam as histórias dos Irmãos Ignácio Lúcio Weschenfelder e Isarel José Nery, que discursaram em seguida.

Confira abaixo as falas pós-homenagem:

“Eu conheci um Irmão Amadeu um pouco diferente de vocês: o meu padrinho, que brincava comigo. Um homem comprometido com sua missão de fé, com o seu trabalho, que me mandava cartões postais de diversas partes do mundo para se fazer presente. Ele plantou em mim sementes de amor. Todos os anos nós viajávamos para a sua terra natal, o Rio Grande do Sul, para visitar a família. Ele plantou em nós sementes de união. Ele adorava jogar bocha e se reunia com seus amigos às sextas-feiras num clima de muita descontração e alegria. Plantou sementes de amizade. A Casa Abel era o seu refúgio, seu lugar de plantar sementes de paz. Apesar de sua posição de diretor do Instituto Abel, o vi inúmeras vezes se misturar entre as crianças na hora do recreio, com um sorriso de menino e um abraço acolhedor, que fez da escola onde estudei a minha vida inteira o meu porto seguro, a extensão da minha casa. Quantas sementes plantadas, quantas lições colhidas. Hoje colhemos os frutos que enchem nosso coração de orgulho e gratidão” – Danielle Fritzen, afilhada do Irmão Amadeu

“Desde 2009, é comovente constatar a solidariedade de estudantes universitários que assumem sua missão social junto aos pequenos da Escola La Salle do Rio de Janeiro, antes denominada de CEPLAS. Nesse ambiente tão palpitante, de presença das crianças carentes e de suas famílias na proximidade e aconchego do ensino superior, os pequenos já não necessitam olhar para cima, nem os grandes, os acadêmicos, precisam olhar de cima para baixo. Mas ambos dialogam na horizontalidade onde se encontram mentes cultas e mentes infantis ávidas por aprender. Sozinho não mereço este título, mas o partilho com todos os que se orgulharam junto de mim, durante os nove anos em que tive a graça de ver e sentir a solidariedade de todas as equipes da instituição e de conviver em paz com elas. Ninguém é professor sozinho, ninguém é verdadeiro mestre isolado das pessoas do seu convívio. Sejamos todos doutores da vida em favor do próximo. La Salle vive hoje através de nós” – Irmão Ignácio Lúcio Weschenfelder

“Eu gostaria de começar com um momento de fé: Viva Jesus em nossos corações! Agradeço por essa ideia maluca que tiveram de me dar o título de Doutor Honoris Causa. Para quem teve infarto aqui em Niterói, neste momento agradeço a Deus como o meu coração aguenta. Meu coração emocionado se volta para Deus, como Ação de Graças. Jesus reclamou que apenas um dos leprosos que curou tinha voltado para agradecer, e era estrangeiro. A gratidão é uma das virtudes maiores do ser humano. Eu passei por momentos dramáticos na minha vida, já estive na frente de São Pedro várias vezes. Só posso louvar e bendizer o Senhor. Numa noite, no hospital, o enfermeiro disse para mim: ‘Cuide-se, você poderá ter um infarto de novo ou ter uma trombose’. Agradeci e falei para Deus assim: ‘O senhor permitiu que o meu pai e a minha mãe me dessem o nome de Israel, homem forte, que vence. Senhor, use e abuse do seu Israel” – Irmão Israel José Nery

Após a outorga dos títulos, foi oferecido coquetel para os presentes no Auditório La Salle. Outra surpresa foi a exposição montada na Galeria La Salle com um pouco da história de cada Irmão e retrospectiva dos principais eventos do ano na Galeria.

Conheça um pouco da trajetória de cada homenageado:

Natural do povoado de Linha Comprida, em Montenegro (RS), Irmão Amadeu ficou raízes em Niterói, adotou a cidade e foi adotado por ela após três mandatos à frente do Colégio La Salle Abel. Ao longo da vida, recebeu diversas homenagens, sendo eleito Cidadão Niteroiense, Cidadão Fluminense, Cidadão Araruamense, Mestre do Ano, Melhor Diretor do Ano em Niterói, Personalidade Educacional, entre outros títulos. A última homenagem em vida foi em 2016: o Prêmio “Sou de Niterói”, realizado pelo Globo Niterói. Irmão Amadeu faleceu no dia de Natal, em 25 de dezembro de 2016, aos 96 anos.

O Irmão Ignácio Lúcio Weschenfelder foi o segundo reitor do Unilasalle-RJ (2006-2014). Sob o seu comando, a instituição de ensino alcançou, junto ao MEC, o título de centro universitário, em julho de 2012. Investiu na educação voltada aos mais pobres, assim como o fundador da Rede La Salle, o patrono dos educadores, São João Batista de La Salle (1651-1719). Foi durante a gestão do Irmão Ignácio, em 2009, que surgiu o Centro Educativo e de Promoção La Salle (CEPLAS), agora Escola La Salle Rio de Janeiro. Prestes a completar dez anos de história, a obra social mantida pela Rede oferece, a cada ano, pré-escola de qualidade e gratuita para 100 crianças carentes da cidade.

Já o Irmão Israel José Nery, autor de 72 livros e mais de 500 artigos, participou de momentos importantes da Rede, como a Missão La Salle em Beira, Moçambique (1992), e mesmo fora dela, já tendo integrado por duas vezes a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil. A catequese é preponderante em sua história, seja pelas duas passagens pela CNBB seja pela participação nos órgãos: Conferência Nacional dos Religio­sos do Brasil (CRB Nacional); Equipe AMERÍNDIA de Teólo­gos e Pastoralistas Latino-americanos; So­ciedade de Teólogos do Brasil (SOTER); Sociedade de Catequetas Latino-americanos (SCALA); Sociedade Brasileira de Catequetas (SBCat).

Por Luiza Gould
Fotos: Camila Reis e Fernando Talask (ASCOM Unilasalle-RJ)

Deixe um comentário

*

captcha *