07
JUN
2018

Padres da Arquidiocese renovam suas forças físicas e espirituais

Terminou há pouco, com o almoço, o retiro canônico do clero da Arquidiocese de Niterói. Segundo Dom João Bosco, Arcebispo Emérito de Diamantina, em entrevista à Rede Vida e à TV Evangelizar, o retiro é como uma retífica para os sacerdotes.

Neste ano, o retiro teve início com o almoço, no Seminário Arquidiocesano São José, no dia 4 de junho, e a seguir, os padres foram convidados a visitar a obra da Nova Catedral São João Batista, e conhecer o andamento das obras. Em entrevista à Rede Vida, Dom José Francisco falou sobre a importância deste momento. Veja o vídeo:

O retiro dos ministros ordenados (diáconos, padres, bispos) é uma exigência do Código de Direito Canônico, conforme Cânon 276 § 24. Mas, longe de ser uma imposição, é uma ocasião oportuna, para que os ministros da Igreja renovem suas forças físicas e espirituais, num momento propício para a convivência e a comunhão entre o presbitério.

É inegável que, no desempenho de suas funções ministeriais, os padres são acometidos de cansaço físico, espiritual, estresse, preocupações e desgaste na condução das atividades apostólicas. A reflexão, a oração pessoal e comunitária e, sobretudo, a oportunidade de parar por alguns dias suas intensas atividades pastorais, possibilita-lhes uma renovação integral indispensável.

Esse momento de retiro é importante para que os padres tenham maior contato consigo mesmos, com os outros irmãos de presbitério e, acima de tudo, possam viver um tempo maior de revigoramento.

O valor da oração na vida do cristão é indiscutível. Quanto mais na vida de um ordenado, que age na pessoa de Cristo e na pessoa da Igreja (in persona Christi e in persona ecclesiam)Como fruto de uma vida em comunhão com Deus, especialmente por meio da oração, é a graça da santidade, isto é, de se parecer cada vez mais com Deus, nas palavras e nas ações.

O padroeiro dos padres, São João Maria Vianney, salientou que: “Um bom pastor, um pastor segundo o coração de Deus, é o maior tesouro que o bom Deus pode conceder a uma paróquia e um dos dons mais preciosos da misericórdia divina”.

Por João Dias
Foto: Padre Ricardo Mota
Reportagem em vídeo: Íngrid Bianchini
Imagens: João Dias
Fonte de pesquisa: Código de direito Canônico/CNBB/Santa Sé

Deixe um comentário

*

captcha *