14
MAIO
2019

“Anjo bom da Bahia”, será proclamada Santa

Na manhã do dia 14 de maio, o Vaticano divulgou. oficialmente, no seu portal Vatican News, que a Bem-Aventurada Dulce dos Pobres será proclamada santa. O decreto que reconhece o segundo milagre atribuído à intercessão de Irmã Dulce foi promulgado pelo Papa Francisco. Ela será a primeira santa nascida no Brasil a ser canonizada. O nome, Santa Dulce dos Pobres, foi escolhido pelas obras de caridade e de assistência prestadas aos mais pobres e necessitados.

O novo milagre reconhecido, segundo informou a assessoria de comunicação das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), tem relação com uma pessoa que perdeu a visão e recuperou, ao acordar. Até o momento, não foram divulgados o nome da pessoa, de onde ela é, e quando o caso aconteceu.

O Papa Francisco recebeu em audiência o Prefeito da Congregação das Causas dos Santos, Cardeal Angelo Becciu, e autorizou o Dicastério Vaticano a promulgar  o  Decreto de Canonização de Irmã Dulce, pelo milagre atribuído à intercessão da Beata Dulce Lopes Pontes, nome de batismo: Maria Rita Lopes de Sousa Brito, conhecida como Irmã Dulce – “O Anjo bom da Bahia”, recordada por sua obras de caridade e de assistência aos pobres e necessitados. Religiosa da Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, a Beata Irmã Dulce nasceu em Salvador, em 26 de maio de 1914, e ali faleceu em 22 de maio de 1992. Foi beatificada em 22 de maio de 2011 e, com este decreto, será proclamada Santa, proximamente, em solene celebração de canonizações.”,informou o “Vatican News”.

O primeiro milagre atribuído à Irmã Dulce trata da recuperação de uma paciente que teve uma grave hemorragia pós-parto, e cujo sangramento subitamente parou, sem intervenção médica. Com este milagre, Irmã Dulce, recebeu o título de Bem-Aventurada Dulce dos Pobres.

O Processo de validação de um milagre tem três etapas de avaliação: “uma reunião com peritos médicos (que deram o aval científico), com teólogos, e, finalmente, a aprovação final do colégio cardinalício, tendo sua autenticidade reconhecida de forma unânime em todos os estágios. É importante ressaltar que uma graça só é considerada milagre após atender a quatro pontos básicos: a instantaneidade, que assegura que a graça foi alcançada logo após o apelo; a perfeição, que garante o atendimento completo do pedido; a durabilidade e permanência do benefício e seu caráter preternatural, ou seja, não explicado pela ciência”, informou a Arquidiocese de Salvador, em seu site.

Breve história da Irmã Dulce

Nascida em 26 de maio de 1914, na cidade de Salvador, Maria Rita começou a manifestar interesse pela vida religiosa desde cedo, ainda no início da adolescência. Aos 13 anos, já atendia doentes no portão de sua casa, no bairro de Nazaré. Sempre com muita fé, amor e serviço, o Anjo Bom iniciou, na década de 1930, um trabalho assistencial nas comunidades carentes, sobretudo nos Alagados, conjunto de palafitas que se consolidara na parte interna do bairro de Itapagipe, na capital baiana.

Em 1949, Irmã Dulce ocupou um galinheiro ao lado do convento, após  autorização de sua superiora, com os primeiros 70 doentes. A iniciativa marca as raízes da criação das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), instituição que abriga hoje um dos maiores complexos de saúde, 100% SUS do país, com 3,5 milhões de atendimentos ambulatoriais por ano. Irmã Dulce faleceu no dia 13 de março de 1992, aos 77 anos, e está atualmente em processo de Canonização. Para ser canonizada, declarada Santa, é necessária a comprovação de mais um milagre atribuído à freira baiana.

O Processo

1999

12 JUN

A Arquidiocese de Salvador publicou edital no qual Dom Geraldo Majella Agnelo, Cardeal Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, solicita a todos os fiéis que comuniquem, diretamente, ou através da comissão para a Causa da Beatificação, todas as notícias das quais se possam colher elementos favoráveis ou contrários à fama de santidade de Irmã Dulce, devendo-se recolher, também, todos os escritos a ela atribuídos.

13 AGO

O Frei italiano Paolo Lombardo foi convidado a ser o postulador da Causa.

14 AGO

A Congregação para a Causa dos Santos publicou edital, concedendo o “Nihil Obstat”, documento no qual a Santa Sé decreta não existir impedimento para a introdução da Causa.

28 SET

Foi realizada a 1ª reunião da Comissão Pró-Beatificação, para tratar da arrecadação de fundos para o Processo.

2000

17 JAN

Foi realizada a abertura do Processo Canônico sobre a vida, virtudes e fama de santidade de Irmã Dulce, realizada na Catedral Basílica de Salvador, quando foi instalado o Tribunal Eclesiástico, presidido pelo Cardeal Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Geraldo Majella Agnelo, que constituiu a comissão histórica, responsável pela busca e preparação de todos os documentos que se referem à pessoa, às virtudes e às obras da Serva de Deus.

26 MAI

Os restos mortais de Irmã Dulce foram transladados da Igreja da Conceição da Praia, onde foi sepultada, para a Capela do Convento Santo Antônio.

SET

Foi apresentado o estudo preliminar de arquitetura do Santuário de Irmã Dulce, a Igreja da Imaculada Conceição da Mãe de Deus. A construção da Igreja atende a uma recomendação do Vaticano, no sentido de que os candidatos a beatos e a santos tenham um espaço de devoção, sendo a garantia de permanência e sobrevivência da espiritualidade e da manutenção do carisma de Irmã Dulce.

2001

22 FEV

O Tribunal Eclesiástico recebeu o relato de um milagre alcançado por intercessão de Irmã Dulce. O caso foi avaliado pela equipe médica do Hospital Santo Antônio e passou a ser estudado com os rigores exigidos.

8 MAI

O governo do Estado da Bahia sancionou lei, cedendo o prédio do Círculo Operário da Bahia às Obras Sociais Irmã Dulce, para abrigar, em parte da edificação, a Igreja da Imaculada Conceição da Mãe de Deus.

18 MAI

A Comissão Histórica entregou ao Tribunal Eclesiástico o resultado das pesquisas realizadas.

1 JUN

Foi concluído o Processo Canônico Diocesano para a canonização da Serva de Deus, Dulce Lopes Pontes, quando houve uma cerimônia de encerramento, na Catedral Basílica de Salvador, presidida pelo Cardeal Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Geraldo Majella Agnelo.

2 JUN

Foi realizada a entrega dos trabalhos do Tribunal Eclesiástico na Congregação para a Causa dos Santos.

7 NOV

A Congregação para a Causa dos Santos reconheceu a validade jurídica da documentação apresentada e deu início à fase Romana da Causa.

2002

13 MAR

Na passagem dos 10 anos da morte da Serva de Deus, foi lançada a Campanha do Tijolinho, visando à arrecadação de fundos para a construção da Igreja da Imaculada Conceição da Mãe de Deus.

JUN

A Positio ficou pronta. Trata-se de um documento canônico, misto de relato biográfico, das virtudes e resumo dos testemunhos do processo que atestam as ações virtuosas de Irmã Dulce.

27 DEZ

Foi lançado o livro “Sementes de Amor – A Sabedoria de Irmã Dulce, em 85 Pensamentos”, na Fundação Casa de Jorge Amado.

 

2003

20 JAN

A Congregação para a Causa dos Santos anunciou voto favorável e unânime, de seu colégio de cardeais, bispos e teólogos, às virtudes heróicas da Serva de Deus, Dulce Lopes Pontes. Os votos foram transmitidos ao Papa Bento XVI, que poderia conceder à Irmã Dulce, o título de Venerável. O anúncio foi transmitido no Brasil pelo Arcebispo D. Geraldo Majella Agnelo, e o decreto, publicado logo após a assinatura de Sua Santidade. O título é o reconhecimento de que Irmã Dulce viveu em grau heróico as virtudes cristãs da fé, esperança e caridade, e permite que a causa de Beatificação cumpra sua última etapa: a confirmação do milagre que deve passar pela última análise até o final do ano.

3 ABR

O Papa Bento XVI reconheceu as virtudes heróicas da Serva de Deus Dulce Lopes Pontes, autorizando, oficialmente, a concessão do título de Venerável à freira baiana. O reconhecimento foi comunicado pelo próprio Papa ao prefeito da Congregação para a Causa dos Santos, o Arcebispo Ângelo Amato. O título é o reconhecimento de que Irmã Dulce viveu, em grau heróico, as virtudes cristãs da fé, esperança e caridade.

2009

27 MAI

As relíquias da Venerável Irmã Dulce foram retiradas do túmulo, localizado na Capela do Convento Santo Antônio, onde estavam depositadas desde o ano de 2000, quando começou o Processo de Beatificação e Canonização, para os procedimentos de transladação, para o túmulo definitivo na Igreja da Imaculada Conceição da Mãe de Deus.

8 JUN

Ocorreu a exposição pública das relíquias da Venerável Dulce, durante uma vigília, na Igreja da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, com início, às 20h.

 

9 JUN

Foi celebrada missa solene, na Igreja da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, presidida pelo Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Geraldo Majella, às 10h, e logo após a missa as relíquias foram depositadas no túmulo definitivo, com a presença de grande público.

27 OUT

O Cardeal Dom Geraldo Majella Agnel, anuncia, em entrevista coletiva à imprensa, o voto favorável e unânime do colégio de cardeais e bispos da Congregação para a Causa dos Santos, a autenticidade de um milagre atribuído à Irmã Dulce, cumprindo, dessa forma, a última etapa do processo de beatificação da religiosa.

10 DEZ

O Papa Bento XVI autoriza a promulgação do decreto do milagre, que transforma a Venerável Dulce em Beata, ou Bem-Aventurada. A autorização foi dada pelo pontífice ao prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, Cardeal Angelo Amato, em audiência privada no Vaticano.

11 DEZ

Um dia após o decreto papal, a fase de canonização do processo foi iniciada. Isto significa que qualquer graça ocorrida a partir desta data pode vir a ser analisada pelo Vaticano como o potencial milagre de sua santificação ou canonização. 

2010

22 MAI

Realizada a Cerimônia de Beatificação de Irmã Dulce. A histórica celebração, que coroou a primeira beata nascida na Bahia, reuniu mais de 70 mil pessoas no Parque de Exposições de Salvador. Após 11 anos de espera, a freira, conhecida por todos como o Anjo Bom do Brasil, passou a se chamar Bem-Aventurada Dulce dos Pobres, tendo o dia 13 de agosto como data oficial de celebração de sua festa litúrgica.

2019

13 MAI

O Papa Francisco recebe em audiência o prefeito do Congregação das Causas dos Santos, Cardeal Angelo Becciu, e autorizou o Dicastério Vaticano a promulgar  o  Decreto de Canonização de Irmã Dulce, pelo milagre atribuído à intercessão da Beata Dulce Lopes Pontes, nome de batismo: Maria Rita Lopes de Sousa Brito, conhecida como Irmã Dulce – “O Anjo bom da Bahia”, recordada por sua obras de caridade e de assistência aos pobres e necessitados. Religiosa da Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, a Beata Irmã Dulce nasceu em Salvador em 26 de maio de 1914 e ali faleceu em 22 de maio de 1992. Irmã Dulce foi beatificada em 22 de maio de 2011 e com este decreto será proclamada Santa, proximamente, em solene celebração de canonizações.

 

Por João Dias com informações da OSID, Vatican News e Arquidiocese de Salvador
Foto: OSID

  1. Neuzinalva Menezes Vigas Costa Responder
    Paz e Bem!! Eu trabalhei no antigo Banco Econômico (BESA), o qual pediu aos funcionários que quisessem ajudar a Obra Social de Irmã Dulce, dessem autorização para ser descontado em Folha de pagamento o valor da doação. Eu era a secretária do Setor de pagamentos da Contabilidade, e todos os meses no dia seguinte ao nosso pagamento, eu já fazia o cheque para entrega-la as nossas contribuições. Ela era uma pessoa baixinha, magrinha, muito franzina, mas de muita garra, pois sol ou chuva, estava lá a Irmã Dulce para receber a doação, para atender os pobres. Hoje sou muito feliz, porque convivi por muito tempo mesmo uma vez por mês com uma Santa. Que Santa Dulce dos Pobres, interceta por todos nós!!! Amém...

Deixe um comentário

*

captcha *