14
JUL
2019

14ª Semana do Tempo Comum – Sábado

Primeira Leitura: Gênesis 49,29-32; 50,15-26

Leitura do livro do Gênesis – Naqueles dias, Jacó transmitiu as suas ordens a seus filhos, dizendo: “Eu vou juntar-me ao meu povo; sepultai-me com meus pais na gruta de Macpela, que está no campo de Efron, o hitita, defronte de Mambré, no país de Canaã. É a gruta que Abraão comprou a Efron, o hitita, junto com o campo, como propriedade funerária. Lá foram sepultados Abraão e Sara, sua mulher, ali se sepultaram também Isaac e sua mulher, Rebeca; e foi lá que sepultei Lia”. Quando Jacó acabou de dar suas instruções aos filhos, recolheu os pés sobre a cama e morreu; e foi reunido aos seus. Ao verem que seu pai tinha morrido, os irmãos de José disseram entre si: “Não aconteça que José se lembre da injúria que padeceu e nos faça pagar todo o mal que lhe fizemos”. E mandaram dizer-lhe: “Teu pai, antes de morrer, ordenou-nos que te disséssemos estas palavras: ‘Peço-te que esqueças o crime de teus irmãos e o pecado e a maldade que usaram contra ti’. Nós pedimos, pois, que perdoes o crime dos servos do Deus de teu pai”. Ouvindo isso, José pôs-se a chorar. Vieram seus irmãos e prostraram-se diante dele, dizendo: “Somos teus servos”. Ele respondeu: “Não tenhais medo. Sou eu, porventura, Deus? Vós pensastes fazer mal contra mim. Deus, porém, converteu-o em bem, para dar vida a um povo numeroso, como vedes presentemente. Não temais, eu vos sustentarei e a vossos filhos”. E assim os consolou, falando-lhes com doçura e mansidão. E José ficou morando no Egito, com toda a família de seu pai, e viveu cento e dez anos. José viu os filhos de Efraim até a terceira geração e os filhos de Maquir, filho de Manassés, que José também recebeu sobre seus joelhos. José disse aos seus irmãos: “Eu vou morrer. Deus vos visitará e vos fará subir deste país para a terra que ele jurou dar a Abraão, Isaac e Jacó”. Depois de tê-los feito jurar e de ter dito: “Quando Deus vos visitar, levai daqui os meus ossos convosco”, José morreu, completando cento e dez anos de vida. – Palavra do Senhor.

 

Salmo Responsorial: 104(105)

Humildes, procurai o Senhor Deus / e o vosso coração reviverá.

  1. Dai graças ao Senhor, gritai seu nome, / anunciai entre as nações seus grandes feitos! / Cantai, entoai salmos para ele, / publicai todas as suas maravilhas! – R.
  2. Gloriai-vos em seu nome que é santo, / exulte o coração que busca a Deus! / Procurai o Senhor Deus e seu poder, / buscai constantemente a sua face! – R.
  3. Descendentes de Abraão, seu servidor, / e filhos de Jacó, seu escolhido, / ele mesmo, o Senhor, é nosso Deus, / vigoram suas leis em toda a terra. – R.
Evangelho: Mateus 10,24-33

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “O discípulo não está acima do mestre, nem o servo acima do seu senhor. Para o discípulo, basta ser como o seu mestre; e para o servo, ser como o seu senhor. Se ao dono da casa eles chamaram de Belzebu, quanto mais aos seus familiares! Não tenhais medo deles, pois nada há de encoberto que não seja revelado e nada há de escondido que não seja conhecido. O que vos digo na escuridão, dizei-o à luz do dia; o que escutais ao pé do ouvido, proclamai-o sobre os telhados! Não tenhais medo daqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma! Pelo contrário, temei aquele que pode destruir a alma e o corpo no inferno! Não se vendem dois pardais por algumas moedas? No entanto, nenhum deles cai no chão sem o consentimento do vosso Pai. Quanto a vós, até os cabelos da cabeça estão todos contados. Não tenhais medo! Vós valeis mais do que muitos pardais. Portanto, todo aquele que se declarar a meu favor diante dos homens, também eu me declararei em favor dele diante do meu Pai que está nos céus. Aquele, porém, que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante do meu Pai que está nos céus”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Jesus previne os apóstolos, e os cristãos em geral, sobre como se comportar diante das perseguições. Não é o caso de ficarem espantados com as reações dos adversários do Reino. Basta inteirar-se de como trataram o Mestre. Os que praticam a injustiça usarão todos os meios, no intuito de frear ou eliminar os cristãos. Mas a prática da justiça põe a descoberto as fraudes e disfarces, mostrando a fraqueza e maldade dos que oprimem o povo. Isso os deixará ainda mais agressivos. Qual a saída? Confiar no Pai. Ele cuida dos passarinhos; cuidará muito mais dos fiéis seguidores de seu Filho. Os inimigos são capazes de matar o corpo, mas não têm poder para matar a consciência e a intenção dos que querem permanecer fiéis a Cristo até o fim. Estes contarão com a incontestável defesa do Pai.